quarta-feira, 3 de março de 2010

DINHEIRO COM ASAS



Ontem eu li num matutino local, uma compilação de matéria publicada nesta segunda na Folha de São Paulo sobre os orçamentos das Assembléias Legislativas dos Estados e os números são impressionantes. Roraima é o Estado que mais onera o contribuinte, pois lá cada deputado custa R$ 258,93 por habitante/ano, seguido de perto pelo Amapá, onde 6,1% de toda a verba anual do Estado vai para a Assembléia.

E estamos falando de parlamentares estaduais. Quando a coisa vai para o nível federal a comparação é mais grotesca. Um deputado federal tem custo mensal de até R$ 117 mil, incluindo salários, verbas indenizatórias, auxílio-moradia, cota postal, vale-transporte aéreo e verba de gabinete. Custa 40% a mais que seu colega alemão e o dobro de seus colegas franceses ou ingleses.

                                  Fonte: Mundo Estranho                                        

A discrepância entre Estados se dá porque estes têm autonomia para definir qual o percentual de repasse às Assembléias. Ou seja, o gestor pensa que o dinheiro é dele e gasta como pode ou gasta o que quer. De forma moral ou imoral. Neste caso, em detrimento de saúde, educação, saneamento, transportes e outras necessidades que somente são lembradas nas campanhas políticas quando estes mesmos deputados correm atrás do nosso voto.

 
Fonte: Jornal Extra

No Maranhão, que tem 42 parlamentares, o custo da Assembléia é de R$ 147,1 milhões/ano, ou seja, para manter cada parlamentar o Estado – com sua estrutura social capenga - gasta R$ 3,5 milhões/ano. O retrato deste descaso social foi mostrado hoje no Bom Dia Brasil numa matéria que mostra o abandono pelo poder público de escolas que estão fechadas por todo o Estado devido à "falta de recursos", servindo de abrigo para sapos e cobras. No bairro vizinho onde moro tem uma. Novinha em folha. Foi construída há quatro anos e nunca foi inaugurada. Acho que estão esperando cair pra fazer novo orçamento e construir outra.

Nas palavras do jornalista Alexandre Garcia, cujo vídeo segue abaixo, ele diz a verdade nua, crua e óbvia: "parece que é planejado para manter as crianças nos mesmos níveis de alfabetização, no mesmo humilde analfabetismo que os pais para que sejam servos e não cidadãos. Se forem cidadãos, vão perceber que ao comprarem estão pagando imposto, estão pagando os salários dos políticos, portanto eles são os patrões. Se os políticos são os mandatários, eles são os mandantes. Quando acabarem percebendo isso, eles vão votar melhor."

Um comentário:

May Santos disse...

Vergonha!
É o que eu sinto ao ler sobre a "picaretagem política" nesse país. A verdade é que eu já estou cansada de tanta corrupção. Não suporto mais ver noticiários! Eles me sufocam, me enchem de desesperança... Creio que é o que acontece com muitos brasileiros.

Beijos pra ti !
^^