sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

PELADA DO BRASILIENSE

Que o futebol brasileiro anda capenga não é novidade pra ninguém. Tanto é que craques do passado que são refugo lá na Europa quando voltam pra cá são tratados como paxás e se tornam atrações dos seus clubes. Agora deram até pra cogitar a vinda de Seedorf, aquele holandês do Milan que não deixou Ronaldinho usar a camisa 10.  Com estas coisas até Pelé se remexe no túmulo. Ah, Pelé ainda não morreu? Foi mal! Então bota ele pra jogar no Santos pra ver se o time ganha algum título internacional.

Sem trazer craques do INSS de fora e sem disputas pela camisa 10, os cartolas do Brasiliense conseguiram o que os jogadores do time não tem conseguido em campo para atrair torcedores para seus times: reunir todo mundo pra ver uma pelada. Diga-se de passagem que a pelada é a musa do time mostrando um par de pernas e muito mais num ensaio que vai fazer você dizer que é brasiliense desde criancinha. Garanto que é melhor que ver os pernas de pau do futebol. Afinal, futebol é uma caixinha de surpresas. Confira aqui



Se eu fosse dirigente do Brasiliense colocava a moça pra desfilar pela beira do campo em todo jogo importante, só pra atordoar o adversário; e, via controle remoto, fazia cair o sutiã da moça ao lado do goleiro na hora do escanteio pro Brasiliense.

Duvido que não seria campeão.


* charge de Alpino, via Yahoo

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

GRANA, PODER, SEXO E RELIGIÃO

Hoje não dá!!! Estou possessa!!!

Quando os Beatles iam fazer sua primeira turnê nos EUA e Lennon comentou que eles eram mais populares que Jesus Cristo, houve aquele furor cristão, quase uma guerra santa promovida pela mídia americana para excomungar o quarteto e conclamar a queima pública de discos da banda. Décadas depois, uma pesquisa realizada no Brasil esta semana, apontou Silvio Santos como a personalidade mais lembrada e admirada pelos brasileiros. O homem do baú até poderia dizer em cadeia nacional - durante o Quem Quer Dinheirôôôô??? - que é mais popular que Jesus Cristo, pois o Todo-Poderoso ficou apenas em 5º lugar na pesquisa, atrás de Bill Gates, Lula e Angelina Jolie. Ou seja, o desejo do povo é grana, poder, sexo e religião. Necessariamente nesta ordem.

Se JC tá perdendo em popularidade até pra Lula, o mesmo não se pode dizer de padre Fábio que ficou entre os 10 homens mais sexys do mundo no top list promovido por uma revista gay. As bibas confessaram que não resistem a uma batina e um rostinho lindo. Haja fantasias pervertidas. E olha que o diabo veste Prada e essas batinas nem são de grife!

Comentei isso com Aristides, da quitanda, e ele me disse que isso era o fim do mundo porque "se filho de mulher amancebada com padre vira lobisomem depois dos 13 anos, que dirá de um desvairado cair de graças por um padre?" 

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

RECALL X TEST DRIVE

 

Aproveitando o recall que uma famosa marca de preservativos está realizando em produtos com defeito, Arnaldo vai aproveitar e pedir pensão pro filho que nasceu nove meses atrás por conta de um preservativo furado, cuja prova - a própria camisinha - ele guarda até hoje num potinho hermeticamente fechado dentro da geladeira.

Eu sempre fico desconfiado quando uma empresa anuncia que vai fazer um recall nos seus produtos. Embora, a primeira vista, pareça compromisso com o consumidor em oferecer um produto de qualidade, eu também penso que a empresa tentou fazer economia em algum lote de fabricação e aí a coisa deu errada e o mercado foi inundado com produtos defeituosos. Daí pra limpar o nome antecipadamente a empresa vem com esse papo de recall. É aí que acho que Arnaldo não tá doido.

Aliás, algumas décadas atrás a gente nem ouvia falar de recall. Você comprava um produto e se desse sorte ele durava muito tempo, se não, tava lascado. Só outro. Depois a onda emplacou e olha onde chegamos...recall de preservativos. E a coisa vai engendrar porque essa semana um sul-africano apresentou no mercado uma maneira super-extra-rápida de colocar o preservativo. É a Revolução Industrial chegando nas genitálias. A colocação é tão ligeira que parece até que vai envelopar os dedos.

Pra mim, antes do recall, o melhor é fazer antes o test drive. Vê o caso dos casamentos com validade de dois anos. É um test drive. Deu certo, ok! Não deu, cada um pro seu lado. Porque se forçar a barra, daí uns anos depois é recall de peito, de bunda, barriga, de pinto. Mas isso tudo não é novidade de agora. O diabos é que tudo que é novo o povo pensa que são os americanos que inventam, mas eu sei que não é não. O pessoal pensa que a gente não tem ideia criativa. Uns anos atrás, Romulado aprontou uma coisa muito parecida lá no interior. Ele muito taradão por Doquinha, doido pra dar uma despirocada naquele piteuzinho mas a mãe dela só liberava a filha se ele casasse, coisa que ele não tava afim de fazer. Daí, menino viajado, meteu o papo em Doquinha e ela fugiu com ele deixando D. Esmeraldina aflita e a filha descabaçada. Na manhã seguinte  à fuga, perdida toda a esperança de ter notícias da filha, eis que aparecem Romualdo com Doquinha na soleira da porta  da casa, dizendo: "D. Esmeraldina, vim devolver sua filha, a menina é muito limpa e educada, mas me desculpe, mas ainda não serve pra casar."

Moral da história: se fizer o test drive antes, não necessita fazer recall depois.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

DEDINHOS SUICIDAS

Daniel, aquele cantor brega-sertanejo e chato, anda espalhando por aí que durante algum tempo paquerou Eliana, aquela apresentadora insossa e chata que passou uma década torturando crianças ao som de "Os Dedinhos". A humanidade, antes tarde do que nunca, agradece a revelação e o fato do romance entre os dois chatos nunca ter acontecido. A coisa poderia ter sido pior. Já imaginou o trauma de tantas crianças se tivessem passado toda a infância ouvindo o hit "Os Dedinhos" em ritmo sertanejo?
"Ai, ai, ai, ai, polegares, polegares, onde estão? ai, ai, ai, ai!"
Cruz credo!

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Ô ARNALDO: BEIJAR NA BOCA, PODE?

Imaginem o futebol como um dos últimos redutos da rude natureza masculina onde você pode xingar o juiz, o jogador e também se esgoelar como um Pavarotti tosco diante o gol do seu time aos 44 minutos do segundo tempo. No estádio, na praia, no sítio, no poeirão...onde a bola rolar.

E futebol chama cerveja que chama um samba um pagode uma garota bonita dançando fazendo alegria pras confrarias futebolísticas de happy hours e de finais de semanas.

Mas tem intruso na área...  Sabe aquela sacanagem de mensagens subliminares que os desenhistas faziam nos inocentes filmes da Disney? A onda aportou no futebol do videogame. Enquanto jogava uma partida do FIFA 2012 e após o gol do Liverpool no Arsenal, o jogador capturou a imagem abaixo onde o atacante Fabianski se engalfinha, após a jogada, com o goleiro do Arsenal e os dois acabam protagonizando um beijo na boca bem nítido durante o replay da jogada. Confira pra não dizer que tô mentindo:


                                              Ô Arnaldo: beijar na boca, pode?

Não bastasse onda da depilação total e da bolsa tiracolo for man, a turma da sensibilidade à flor da pele agora quer ferir os brios em um dos nossos últimos redutos masculinos.

Vatre retro!

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

EXTORSÃO: UMA INSTITUIÇÃO NACIONAL

Quando Steve Jones e Paul Cook, do Sex Pistols, estiveram no Brasil em 1978 e saíram pra dar uma  volta no Rio com José Emílio Rondeau estranharam a figura do flanelinha recebendo trocados para "guardar" carros. Imagine: os ícones do movimento punk espantados com a institucionalização da extorsão na figura do flanelinha amparada pela venda nos olhos da justiça brasileira.

Juntando toda a banda terceiro-mundista com a herança pré-colonial de nossa descendência pouco nobre de degradados e amancebados, o que nos diferencia de uma Paris do século XVIII é que hoje existe um saneamento razoável nas ruas e as mães não dão luz  nas feiras sob barracas de peixe, cortando os cordões umbilicais com  facas sujas de vísceras.

De trocado em trocado os flanelinhas transformaram a guarda de carros em um negócio sindicalizado que aliado à falta de oportunidade de emprego agregou à classe uma turma de vagabundos e desocupados que transformaram o negócio numa oportunidade de extorquir motoristas em estacionamentos públicos e pedágios em semáforos, ao cúmulo de cobrarem 100, 150 reais por uma vaga em São Paulo.

Eu sei que tem quem se sensibilize com isso, mas eu não. Não estudei pra ser trouxa, mas até porque faço minha parte antecipada: o imposto do meu salário é descontado na fonte. Quem devia estar preocupado, que são os políticos e governantes,  não estão. Embutiu-se na sociedade o hábito de que os cidadãos assumam as lacunas deixadas pelas más gestões públicas enquanto a cada eleição o que se vê é a fanfarronice do desperdício do dinheiro arrecadado em impostos ir para a latrina das promessas de campanha. Basta buscar na memória recente do país.

Mas se não se punem os graúdos, quanto mais os miúdos. Eu me lembro de folhear livros de Direito na biblioteca de meu pai, num tempo em que buscava minha vocação profissional, e ter lido, num antigo Código Civil a respeito da detenção por vadiagem e outras contravenções. Até pensei que essa lei nem mais existisse, mas existe. Surpreendentemente, o capítulo VIII das Leis das Contravenções Penais lista como passíveis de punição as seguintes contravenções, entre outras que eu também julgava extintas: jogo do bicho, importunação ofensiva ao pudor, embriaguez, servir bebidas alcoólicas a quem se encontra embriagado, pertubação da tranquilidade, etc.

Apesar de soar irônico, este retrato é extremamente perturbador, na medida que coloca as leis vigentes do país num limbo, num plano de arqueologia. E para fazê-las cumpri-las as instituições mais sérias tem que garimpar verdades, direitos esquecidos por décadas de descaso contra a sociedade.

domingo, 27 de novembro de 2011

TAMANHO NICOLE BAHLS

Outro dia li um divertido post sobre a concorrência injusta da mulherada com as loiras de saia curta. Deve ser cruel mesmo, até porque se a mulherada não for abençoada de berço tem que ralar muito na academia, gastar uns $$$$$ no salão e consumir vários hectolitros de silicone pra não dar pití em frente da concorrência nas baladas. Mesmo que na noite todas as gatas sejam pardas, as loiras de saia curta chamam muita atenção. Rigorosamente mulher gostosa tem que caber certinhos nos manequins P, M, G. Se o manequim for tamanho Nicole Bahls, melhor ainda. Aliás este último tamanho, quê que é isso meu amigo.........Benza Deus!!! É como se diz por aí, a paranaense é muita areia....

Convenhamos que Deus tava de brincadeira com o resto do país quando fez o Paraná. Ô lugar pra ter mulher bonita!!!  Parece que pra chegar nesse padrão de qualidade ISO 9001, Deus começou separando os índios lá pro meio das matas do Amazonas, do Pará e do Maranhão; depois pra acabar com a chiadeira dos cearenses por conta do descaso com Iracema a virgem dos lábios de mel, Deus passou-Lhes as mãos em suas cabeças até achatá-las e ofertou-Lhes um belo litoral  e a habilidade única de comer rapadura; como os baianos tavam com preguiça de pedir alguma coisa, Deus acabou ofertando as mulatas pros cariocas e o trabalho pros paulistas (afinal, alguém tinha que trabalhar por essa gente); depois separou uma turma de indecisos em Passo Fundo e depois quando estava voltando - pois não pisa na Argentina nem morto - passou no Paraná e perguntou se eles queria alguma coisa a mais além das belas Cachoeiras do Iguaçu e eis que um mineirinho ( que tá metido em todo canto) respondeu: "pouca coisa, Senhor: só faça com que aqui só nasça mulheres lindas, gostosas e maravilhosas. Só isso, tá bão?"

Mais uma foto, pra gente ver de novo

E assim foi feito.

sábado, 26 de novembro de 2011

QUE PAÍS É ESSE?

Os policiais militares e bombeiros do Maranhão estão em greve numa ação inédita da categoria descumprindo a Constituição Federal no seu artigo 142 § IV que diz claramente que "ao militar são proibidas a sindicalização e a greve". Se bandido não respeita polícia e a polícia não respeita a sociedade, eu pergunto: que país é esse? 

Pelo rádio ouvi  dizer que uma das principais reivindicações dos PM's é a questão salarial o que me reporta novamente à CF no artigo 7° § 4 que trata do "salário mínimo fixado em lei, nacionalmente unificado, capaz de atender as necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e previdência social, com reajustes periódicos que lhe preserve o poder aquisitivo, sendo vedada sua vinculação a qualquer fim"  e à melhoria do plano de carreiras. 

Confesso que não sou um expert em legislação trabalhista, mas meu pouco conhecimento entende que os policiais militares são servidores estaduais regidos por legislação específica e cujos proventos advém de subsídios para fins específicos. E que tal subsídio deveria ser equiparado em todo país àqueles do Distrito Federal depende apenas de aprovação da Câmara dos Deputados.

Aqui, abre-se um leque para um outro assunto delicado que temos que engolir sempre: a eleição dos nossos representantes. Por mim, por exemplo, analfabeto não votava. É minha opinião e um direito que me assiste. Voto de analfabeto corrobora pra eleger analfabeto como Tiririca e corrupto que nada faz a não ser fomentar falcatruas para beneficiar a se próprios. Por que esta pendência dos subsídios dos policias está pendente desde o início deste ano? Porque mais da metade dos "representantes do povo" não estão interessados em resolver este problemas. Estão pensando nas eleições do ano que vem e como manter os votos nos seus currais eleitorais.

Nos redutos mais intrínsecos do país ainda existe quem venda seu voto por um par de havaianas e um aperto de mão, aproveitando-se da ingenuidade e alienação de trabalhadores que eles insistem em manter analfabetos e com doses homeopáticas de promessas de campanha nunca cumpridas. São nesses nichos que uma escória de parasitas se ampara para garantir seus votos nas próximas eleições. É da decisão dessa gente descompromissada com a sociedade e protegida de seguranças particulares, que a sociedade depende com para por um fim à greve de PM's

Ironicamente, esta mesma polícia que hoje está em greve é a mesma que sentava porrada nos trabalhadores grevistas e estudantes, em São Luís, anos atrás. Exemplo clássico e oportuno de ser lembrado para que não haja perda de memória coletiva da sociedade foi a pancadaria autorizada pelo governador da época, João Castelo, atual prefeito de São Luís, no lombo dos estudantes que lutavam pela meia passagem urbana no início dos anos 80.  

A greve dos policiais militares gera um precedente que poderá ser disseminado em todo país caso seja mantida a passividade do Estado da solução do conflito. Um país de leis frouxas como o nosso, onde a população carcerária cresceu 450% nos últimos 20 anos e que segundo o personagem Fraga, de Tropa de Elite 2, corresponde dizer que neste ritmo, em 2081, 90% de toda população brasileira estará na cadeia não pode permitir que um determinado setor da sociedade mantenha todo o restante da sociedade como refém, principalmente descumprindo a CF. 

No gancho da greve dos PM's, os policiais civis já estão ensaiando uma paralisação na próxima semana que deverá ser antecipada pela dos motoristas de ônibus urbano, por conta da segurança, já que sem polícia nas ruas os bandidos estão antecipando o Natal. No momento que bandido não respeitar polícia e a polícia não respeitar a sociedade estaremos à beira da desobediência civil. 

Com o impasse nas mãos da governadora Roseana Sarney, torcemos que a mesma não solte para os policiais e bombeiros a mesma pérola que seu comparsa  colega cearense, Ciro Gomes, pronunciou sobre a greve recente dos professores da rede estadual: "professores não devem trabalhar por causa de dinheiro, quem assim pensa deveria deixar a profissão".

Este é o país que planejamos?

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

GAROTAS QUE LEEM NUAS

Dia desses li por aí que uma das ondas culturais novaiorquinas são os saraus apresentados por mulheres nuas. A sensação que me passa é algo como se a menina que roubava livros tivesse crescido e resolvesse exibir a piriquita recitando versos de Éluard.

Sensações à parte, isso ratifica minha teoria de que cultura gera tesão. Basta imaginar o que rolava na cama do escritor Heny Miller durante um ménage à trois com sua esposa June e a escritora Anais Nin ou do papo cabeça de Simone de Beauvouir flanando na cama de Sartre e outros intelectuais.

Aparentando sacanagem, os saraus despertam além da audição, a libido dos ouvintes. Até porque, sacanagem é uma coisa vulgar, mas sacanagem cabeça é outra coisa. Assistindo o stand-up da Princesa Leia, lembro-me quando ela disse que no início das filmagens de Star Wars ela se apresentou a George Lucas vestida com seu figurino e ele assim que viu aquele piteuzinho disse: "Você não pode usar sutiã nem calcinhas com essa roupa!"  Ela perguntou: "Por quê?" E Lucas, na bucha, com seu papo de Darth Vader, emendou: "Porque no espaço, minha querida, eles não usam calcinhas nem sutiã." Sacou a sutileza? Como diria Fernando Pessoa: "o poeta é um fingidor".

Mulheres nuas e literatura são mais comuns do que a gente imagina. Uma busca rápida na internet e lá estão elas nos parques europeus pegando um solzinho com os seios de fora absorvidas pela leitura. Dependo do seu nível cultural, este é o momento da abordagem, você pode se aproximar com seu volumoso exemplar de Ulisses e jogar um xaveco tipo: "Vamos lá no Finnegans Wake prum orgasmaravalha?"

Infelizmente a onda dos saraus pelados ainda não pegou aqui por aqui. Nessas horas eu me vejo na platéia, aplaudindo e ovacionando as moças peladas depois de ouvir uns trechos picantes de A Casa dos Budas Ditosos.

Aplaudindo sentado, é claro. Não por falta de educação mas, porque em pé ia dar bandeira.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

OS TRES NÍVEIS DA DEPILAÇÃO MASCULINA


Por mais que eu reze pra São Jorge parece que ele não me escuta. Em defesa do último bastião Neandertal surpreendi-me, algumas semanas atrás ao ler numa revista masculina que existem  tres níveis de depilação masculina  com variações pra se fazer em casa ou na clínica. EPA!!! Como eu só conhecia os níveis da barba e das aparadas de pelos, não sei se rio ou choro. 

O primeiro nível é o Básico ou Fred Flinstone, se você preferir: o sujeito só dá um trato na monocelha, no nariz e orelha. Esse é o meu nível. Aliás eu pensava até agora que só existisse esse nível.
Depois tem o nível Intermediário ou Mamãe estou indeciso: o sujeito começa a depilar a nuca, as costas, o peito e a barriga.
E por último, chega-se ao nível Avançado ou Mamãe soltei a franga: Aí o indivíduo já se entregou por completo e depila as axilas, coxas, pernas, virilha e nádegas.

Eu leio tudo isso mas eu não acredito. Juro que não acredito. Eu fico imaginando se existe algum amigo meu, qualquer um, defensor da mesma causa da masculinidade que leve uma vida secreta que o faça ir até uma clínica pra depilar a bunda. Daqui a pouco tão fazendo clareamento do rego.

Daí eu me lembrei de um e-mail que recebi outro dia de autoria de um gay que manifestava seu repúdio ao excesso de viadagem que circula por aí. O cara sintetizava o assunto da seguinte forma: ser gay é uma coisa e ser bichinha biba é outra coisa totalmente diferente. Uma frescura alimentada pela mídia.

Durma-se com um barulho desses. Porém, se a gente fizer um playback dos últimos 50 anos da diversidade de gênero e do comportamento sexual, eu fico com a sensação que o foco das mulheres ao longo destas décadas, foi o poder que antes pertencia quase que exclusivamente aos homens; enquanto estes, a medida que cederam terreno para as mulheres, impossibilitados de vencê-las, optaram por unirem-se a elas às vezes de uma forma desastrosa e caricata.

Por isso que eu peço todo dia pra São Jorge: "Força São Jorge, afasta de mim com tua espada justiceira os malefícios da modernidade!!!"

Tudo bem que você chegou até aqui achando que tudo é uma questão de higiene. Ok, embora eu seja  da geração da Playboy da Claudia Ohana, hoje em dia eu também prefiro as minas no nível 3. Mas só elas, as gatas. Higiene é uma coisa, mas quando você começar a competir com a mulherada pra saber quem é que tem a melhor cera, qual o creme depilatório é mais cheiroso, que suas coxas ficaram irritadas com a depilação.... Meu amigo, se você já chegou nesse ponto, você já se tornou o senhor dos anéis..... queimados.

Aí a coisa fedeu pro seu lado. Passa espada nele, São Jorge!!!

sábado, 8 de outubro de 2011

THE APPLE IS ON THE TABLE

Das gafes impagáveis da semana, a hors-concours foi a da Mulher Maçã lamentando a morte de "Esteve Jobs", cujo texto, na íntegra, reproduzo aqui:

"Gracy Kelly a mulher maca se sentiu tocada com a morte de Esteve Jobs. Ela acredita que boa parte de seu sucesso nacional e principalmente internacional tem haver com o simbolo da apple que vem a ser uma maca. No ano em que comecou a aparecer na midia como a mulher maca por coincidencia foi o mesmo da ascencao da empresa americana. Mesmo nunca tendo conhecido esse genio inventor de grandes modernidades ela se sente profundamente agradecida pelo maca vir a ser o simbolo da empresa que vem a ser seu apelido desde adolescente. Ela promete fazer uma nova tatuagem com o simbolo da apple para eternizar o seu agradecimento".

Grace Kelly mostrou amplo domínio da língua de Camões ( aquele das piadas, não o autor dos Lusíadas), pois seu nível de gramática ficou no ensino fundamental. Num golpe de marketing, a popozuda ainda aplica um 171 quando cita a "coincidência" do aparecimento dela na mídia com a ascenção da Apple. Não sei se rio ou me suicido prendendo a respiração. E mostra uma verve literária "talqualmente" o coloquialismo de Odorico Paraguaçu sobre "o inventor de grandes modernidades". 

Ela se sente agradecida pelo símbolo da Apple ser uma maçã. É verdade... Poderia ser uma banana. Imagina se ela estivesse na mídia quando Osama atacou as torres gêmeas em Nova York, a Big Apple. No mínimo ela teria dito: " Meu Deus, poderia ter acontecido comigo!" Nada estranho para quem afirmou recentemente que seus seios teriam crescido 3 cm com a técnica tailandesa do tapa na cara. Falando nisso, receba da minha parte um tabefe virtual pra ver se eles crescem mais uns 2 cm.

Aliás, Mulher Maçã, não confunda hors-concours com halls com cus.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

TOP 10: BELDADES DO ESPORTE 2011


Chegando fim de ano e começam a aparecer as listas: listas dos melhores celulares, dos melhores tablets, dos melhores times de futebol, das compras de Natal, das contas que você vai pagar,etc, etc, etc. Fazendo jus ao espírito espada deste blog, resolvi pegar carona na lista das listas que está rolando nas principais revistas de esporte que é o TOP 10 das atletas mais sexy de 2011, ou seja, a lista das gatas mais gatas do esporte.

Obviamente esta não é a lista oficial, mas a minha lista, embora eu nem tenha me atrevido a mudar de posição algumas beldades, como vocês verão a seguir. Claro que cada um pode fazer a sua lista conforme a preferência, inclusive trocando a Anna Kounikova pelo Justin Bieber., mas aí é melhor você ir ler a Capricho, cara-pálida.


10º Lugar: Niki Gudex
33 anos, inglesa, ciclista


9º Lugar: Heather Mitts
33 anos, americana, futebolista


8º Lugar: Darya Klishina
20 anos, russa, salto em distância


7º Lugar: Anna Kounikova
30 anos, russa, tenista


6º Lugar: Anastasia Ashley
24 anos, americana, surfista profissional


5º Lugar: Maria Sharapova
24 anos, russa, tenista


4º Lugar: Maria Kirilenko
24 anos, russa, tenista



PÓDIO


3º Lugar:  Alana Blanchard
21 anos, americana, surfista profissional


2º Lugar: Leryn Franco
29 anos, paraguaia, arremesso de dardo


1º Lugar: Alison Stokke
22 anos, americana, salto com vara



sábado, 1 de outubro de 2011

NESSAS ILHAS CHEIAS DE DISTÂNCIAS

Enquanto voltava pra casa agora de manhã me bateu um revival ao ouvir o Ave de Prata, de Elba Ramalho, no player do carro. Porque isso me reporta ao início dos anos 80 e naquela época eu estava vivendo uma fase que todo jovem sempre pensa em ter: tinha saído de casa pra fazer faculdade e ido morar em outra cidade.

Quando cheguei em Fortaleza o impacto cultural foi muito grande: meus primos tinham um visual californiano com parafina nos cabelos decorrente da prática do surfe nas águas verdes da Leste-Oeste e do Mucuripe. Logo nos primeiros dias depois de voltar da praia, um deles emendou uma jam do Genesis com Vou Danado pra Catente, de Alceu Valença. Aquilo foi um choque. Naquele momento minha relação com a música nordestina foi tomando outra dimensão, especificamente com a música emergente entre o Ceará e Pernambuco,  pois até então, vindo de uma região que não é Norte nem Nordeste, mas adequadamente conhecida como Meio-Norte, parecia não ter descoberto uma identidade musical apesar de sempre ter tido uma relação muito íntima com a música. 

Junto com esta metamorfose, tomei conhecimento da existência de uma tal de rádio FM que só tocava música o dia inteiro. Pra quem não sabe, logo que surgiram as FM's não eram comerciais e bregas como 95% das FM's de hoje. Elas tinham uma proposta de só tocar música com a mínima interferência do locutor ou comerciais, algo mais ou menos similar como acontece atualmente com os canais de áudio das tvs por assinatura. E havia uma efervescência musical acontecendo no Nordeste para tocar nestas rádios: os discos recém-lançados de Fagner (Revelação), Zé Ramalho (Avôhai), Elba Ramalho (Ave de Prata), Geraldo Azevedo (Bicho de Sete Cabeças), Belchior (Medo de Avião) e Ednardo (Enquanto Engoma a Calça), entre outras agitações como o Massafeira. E essas audições musicais se tornaram contínuas e meus primeiros acordes musicais na tentativa de aprender a tocar violão, aconteceram com estas músicas. Ainda bem que eu não forcei a barra, pois toco muito mal e ainda prefiro as versões originais do que as minhas interpretações acústicas.

Mas,  o mundo era uma sopa em ebulição e eu precisava dos seus ingredientes. Junto com a balada musical meus interesses culturais se interceptaram com leituras de Fernando Gabeira e Ferreira Gullar, justo quando ambos voltavam do exílio. Deste último, ilhéu como eu, mantive o Toda Poesia (1ª edição, capa dura) como livro de cabeceira e diário de bordo durante vários anos.

Em seguida, numa das visitas ao meu amigo Buana lá no seu cafofo no centro de Fortaleza, fui presenteado com diversas audições dos primeiros LP's do Barão, ainda com Cazuza, e sessões, depois passadas para uma fita cassete que eu ouvia no toca fitas da Toyota Bandeirante da empresa lá nos confins do sertão, do Emotional Rescue e do Tatoo You, dos Stones.

Mas aí é outra história.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

QUANDO A ESMOLA É MUITA

Hoje entendi porque o governo brasileiro não dá dinheiro vivo aos pobres, mas um cartão de plástico pra eles fazerem o que quiser, inclusive sacar o dinheiro do benefício social. É que pobre não sabe muito o que fazer com dinheiro. Eu tiro por mim, pois se pegar um pouquinho a mais de dinheiro, me dá logo uma coceira danada e uma vontade de gastar. 

Na Índia o negócio tá pior. Paris Hilton esteve lá e espantada com a pobreza resolveu distribuir US$ 2 mil que levava na bolsa e uma garotinha acabou levando uma nota de US$ 100, mas logo em seguida foi agredida por parentes que disputaram o dinheiro e que acabou sendo rasgado pela própria família pra acabar com a discórdia. Deve ser por essas e outras que se diz que parente a gente não escolhe. É um carma.

Caco Antibes que o diga.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

AMOR, BATI SEU CARRO....

O pomposo órgão intitulado Secretarias de Políticas para as Mulheres da Presidência da República resolveu banir Gisele Bündchen (quase que eu não acho este maldito trema no teclado) de uma propaganda na tv por entender que a publicidade "reforça o estereótipo da mulheres como objetos sexuais". Eu tenho certeza que essa decisão foi obra de mulher feia. Aliás, muito feia mesmo. Daquelas que nunca se sentiram desejadas; daquelas que nunca se sentiram um objeto sexual. Aliás, diria até que além de feia seu manequim não cabe naquela lingerie vermelha por onde Gisele se esguia. E nem deve reclamar que não teve oportunidade, porque eu tenho certeza que quando nasceu, Deus perguntou: " MINHA FILHA, VOCÊ QUER SER LINDA E MARAVILHOSA OU QUER TRABALHAR NUMA SECRETARIA DO GOVERNO DO PT?" Ô azia infeliz, minha cumade.... Chegar em casa de noite e só encontrar Miojo e a novela das oito pra se abraçar deixa qualquer um sem juízo...

Du-vi-dê-o-dó que minhas leitoras não tenha usado uma vez ou outra de seus poderes de sedução pra conseguir alguma coisa especial de sua cara metade. E convenhamos: Gisele fala tão pouco no comercial. Só diz que bateu o carro. Uma vez, duas vezes. Grosseria, seria se o cara do outro lado nem reparasse a Gisele gritasse: "MEU DEUS, MEU CARRO!!!! FOI PERDA TOTAL, FOI?"


O que eu acho de burlesco nos dias atuais é a magnitude da opressão: certos atos do governo, em particular, são mais atitudes de censura do que de criação. E tome-se por referência que a maioria daqueles que estão no poder lutaram contra a censura nos anos 60 e 70 e agora não agem muito diferente que seus censores. Mas não é só o governo ou Brasil que passa por esta onda de terror da liberdade pessoal. O mundo todo está na contra-mão porque a sociedade precise de insights comportamentais entre uma década e outra. Ruim pra quem não sabe nadar entre estas marés de individualismo travestido de equidade.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

ELES PREFEREM OS DUENDES

Depois de um fazendeiro expulsar Rihanna de sua plantação alegando que a bad girl estava usando trajes indecentes, eu tive a certeza que os irlandeses preferem os duendes. Claro, que me passou também pela cabeça a remota possibilidade de ver aquele milharal transformado na maior pipoqueira do mundo com o fogo aceso da cantora. Principalmente depois que ela tirou a blusa e eu imaginei que ela iria incendiar tudo. Seria o fim dos trevos de quatro folhas e de seus duendes amestrados.

Isso porque ele não viu a morena nos trajes sumários ralando a derrière na rapaziada no carnaval em Barbados.

Não é à toa que Belfast não é Londres. 

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

FÁBULAS BRASILEIRAS

O Brasil assemelha-se a um país de conto de fadas, mas ao contrário das fábulas de Esopo as histórias daqui não tem moral e nem final felizes. Aqui as histórias só terminam bem para as bruxas e para os lobos-mau.

Assistindo essa semana o Bate Bola na Espn, um dos comentaristas, indignado, desabafava pela precariedade do transporte público em São Paulo: "Uma cidade feita para carros. Uma pessoa por veículo!", desabafava. E continuou a discussão relembrando projetos de alguém, planejamentos de não sei quem, obras que nunca começaram e outras que nunca tiveram fim.

Mas este é o Brasil, impávido e colosso. Eu me lembro que nos anos 80 muito se falava sobre a reserva de ferro de Carajás e o fato dela ser a maior do mundo. Naquela época eu já me questionava como um país de extensão continental, vítima do cartel árabe e americano do petróleo e com a maior reserva de ferro do mundo dependia tanto do transporte rodoviário e da indústria automobilística. Por que não tínhamos estradas de ferro como os EUA e a Europa? Claro, eu tinha apenas vinte anos e não conhecia o maquinismo entranhado na nossa história sócio-econômica; da rendição política do país aos interesses dos senhores da GM, da Ford, da Crysler e das gigantes petrolíferas Esso, Shell e Texaco em desovar seus estoques no Terceiro Mundo, tornando-nos serviçais dos seus produtos e nos deixando como herança os frangalhos do nosso transporte público.

Das fábulas brasileiras, uma delas deu origem mês passado ao livro "O Ladrão do Fim do Mundo" que conta a história de como no início do século XX o Brasil que produzia 95% da borracha consumida no mundo passou a comercializar apenas 2,3%, depois que um ladrão inglês chamado Henry Wickham contrabandeou 70 mil sementes da seringueira brasileira para as colônias do Império Britânico dentro de um camarote lacrado em um navio que foi inspecionado pelas autoridades brasileiras em Belém do Pará, e as árvores começaram a produzir lá do outro lado do mundo.

Mas isso é a apenas uma parte da história dos marginais que se entranharam no país que já abrigou um nazista e criminoso de guerra (Joseph Mengele), um assaltante procurado pela Interpol (Ronald Biggs), um ditador sanguinário (Stroessener), um mafioso (Tomaso Busceta) e recentemente um terrorista italiano (Cesar Battisti). Tudo isso, claro, sob os auspícios da lei.

Ironicamente esta lei que protege bandidos não é usada de maneira eficaz para proteger nossas crianças e adolescentes, garantido-lhes a dignidade e cidadania merecida. Dia desses, enquanto almoçava e ouvia as tele notícias fui bombardeado pelo descaso social em que vivemos: numa escola um aluno foi eletrocutado porque tocou numa parede que dava choque; em outra, os alunos bebiam água em panelas porque não haviam copos. As imagens falavam por si só. E, claro, as condições são precárias, mas não é por falta de dinheiro público e sim porque reformar escolas neste momento não trás vantagens políticas, pois este não é um ano de eleição. Assim, a ideia política é a mesma de 30, 40 anos atrás: manter as obras públicas num nível de precariedade e a educação das crianças num patamar subdesenvolvido para garantir o cabresto de votos nas eleições futuras.

Assim se constrói um país de analfabetos. Assim fomos ao longo da história sendo segregados de nossa intelectualidade e de nossa cultura. Usurpados de nossas criações como fazem ao pioneiro da aviação, Santos Dumont, com relação aos irmãos Wrigth e ao padre José Francisco de Azevedo que inventou a máquina de escrever e depois perdeu o direito de patenteá-la, pois um americano roubou-lhe a ideia e a patenteou sete anos depois. Se não temos respeito por nossa identidade, quem irá nos respeitar?

Das sementes contrabandeadas da floresta ao domínio da U.S. Steel que chegou a ser dona de 70% do ferro da Carajás, o país mudou muito, mas não mudamos nosso caráter. Antes éramos saqueados apenas pelos colonizadores que nos levavam a riqueza da terra e ficávamos como miseráveis ilhados em nosso próprio reduto; agora aprendemos a saquear a nós mesmos desviando recursos da saúde, da educação, da segurança pública e aumentando os impostos na mesma proporção que aumentam o número das aves de rapina.




sexta-feira, 16 de setembro de 2011

WI-FI

No futuro seremos uma espécie de corcundas vesgos e solitários com seis dedos em cada mão. Pelo menos é o que eu imagino, rebuscando Darwin, quando vejo a "geração perdida da internet" curvada sobre seus celulares e computadores portáteis de última geração.

A tecnologia acabou com a criatividade. Isolou boa parte da humanidade em limbos de bytes como uma droga poderosa que faz com que o único estímulo matinal que o indivíduo sinta ao acordar de manhã seja aquela vontade incontrolável de abrir a rede social e dar bom-dia aos seus zilhões de amigos invisíveis.

Às vezes recebo, nas redes sociais, convites de gente que nem conheço pra festas que eu nunca vou e daí me lembro daquelas festas que ninguém me convidava mas ainda assim eu ia e entrava de penetra pela porta da frente sem nem saber o nome do dono da casa. Era muito mais divertida a sensação de ser expulso a qualquer momento.

Mas o que mais me deprime são as redes wi-fi no bares e cafés, que pra quem não sabe, eram lugares onde algum tempo atrás as pessoas iam pra se conhecer, trocar ideias, paquerar... Impressiona-me agora este isolamento  exacerbado entre as mesas, este silêncio interrompido de vez em quando pelo som dos dedos nos teclados. Pois o lado nonsense dos locais com wi-fi é que as pessoas ficam cada vez próximas umas das outras, mas apenas para conversarem com pessoas distantes. 

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

SCARLETT JOHANSSON E A PROVA QUE DEUS EXISTE

Quero ser recebido assim quando chegar no céu

Ao saber que vazaram algumas fotos nuas de Scarlett Johansson na internet quase tive a certeza que Deus existe e se lembra destes pobres pecadores esquecidos sobre os teclados. Mas aí, tal qual uma aparição divina sob a trombeta dos querubins onde a visão varia conforme a fé do crente, o milagre bem que poderia ter sido muito maior do que somente duas fotos mostrando muito pouco. Merecia, no mínimo, 36 poses como num filme de 35mm. E Scarlett tem antecedentes fotográficos que lhe condenam: lembram da personagem de Vicky Cristina Barcelona? Meu Deus!!! Como me deu vontade de ser pintor e poeta e me mudar pra Catalunha... 

Esta mania das mulheres se fotografarem em frente ao espelho é um fetiche sem comparação, já que algumas deixam as fotos no celular mesmo sabendo que a qualquer momento alguém pode ter acesso e  vê-las. Ainda mais quando são picantes. Certa vez, um casal que eu não vou dizer o nome, deixou umas fotos dos seus momentos de Love Story e Garganta Profunda no celular e um outro amigo nosso teve acesso e copiou as fotos pro celular dele e compartilhou com a galera. Claro, sem que o casalzinho soubesse. Que maldade!!!

Mas cada narciso com seus fetiches. Que o digam nossas amigas. Basta acessar qualquer álbum de fotos delas para encontrá-las fazendo biquinho e carinhas em frente ao espelho. Imagine então acessar as fotos que estão guardadas no celular naquela pasta secreta???

Clique aqui para ver as fotos do "milagre". Oremos, precisamos de mais aparições.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

EU MINTO, LOGO EXISTO

Ser prefeito no Maranhão não é uma profissão difícil, basta ler da mesma cartilha Engana-Povo lançada desde os tempos em que lamparina dava choque. E hoje com os avanços da tecnologia até os semi-analfabetos podem se valer desta pérola da literatura política, pois basta contratar um assessor com salário na casa dos 5 mil, pra ele fazer um CLTR + C, CLTR + V dos discursos escatológicos e cheios de fanfarronices bem no estilo Odorico Paraguaçu. Na minha opinião, o troféu "óleo de peroba" vai para o discurso mais copiado que encontra-se no capítulo 2 da obra supra-citada e que é aquele que os prefeitos repetem mais que ladainha de novena: "Em nossa administração estamos pagando os salários em dia, construindo escolas, fazendo investimentos na saúde, construindo estradas". Ou seja, NADA MAIS QUE A OBRIGAÇÃO. Ainda que a maioria deles esteja mentindo.

Mas tem que repetir todo dia. Afinal, uma mentira repetida mil vezes se torna verdade.

domingo, 21 de agosto de 2011

MINHA VISÃO DE RAIOS-X

Na minha pré-adolescência, o poder que eu mais cobiçava no Superman era a visão de raio-x. Cara, aquilo era demais prum moleque magrelo, sonhador cheio de hormônios e tesão, como eu. Imagina fixar os olhos na direção duma bunda dançando sob a saia e poder ver o que está embaixo...Por que não nasci em Krypton? 

Por conta disso eu me lembro que um dia estava atravessando a praça Benedito Leite e um marreteiro ( marreteiro era o nome pelo qual meu pai chamava os camelôs. Estou usando o termo aqui pra mostrar como esta é uma história antiga) juntava uma pequena platéia enquanto ele demonstrava como uma pequena engenhoca, parecida com aquelas palhetas que os médicos usam pra segurar a língua dos pacientes com um orifício na ponta, permitia você ter uma visão de raio-x. "Eu quero isso", pensei!!! O pensamento rolou como um tapa bem dado. Só tinha um problema: eu não tinha dinheiro pra comprar. E também não podia pedir pro meu pai nem pra minha mãe, porque eles iriam perguntar pra quê que eu queria dinheiro. Dilemas, dilemas, dilemas...Então fui guardando minhas moedas do lanche de pão cheio com K-Suco pra poder comprar o tal raios-x de bolso, mas eis que um fato novo aconteceu. Inesperadamente. Estava no colégio e vi um alvoroço num pequeno grupo de alunos. Fui lá ver e era um colega se exibindo com o tal objeto e assim, do nada, descobri que o cara tava interessado em vender. E mais: eu podia comprar com o que eu já tinha economizado. Comprei meu raios-x. Aquilo foi demais. 

Empolgado com meus planos maléficos de ver as calcinhas de todas as meninas da escola resolvi fazer um teste que eu já tinha visto antes que era colocar a mão espalmada para a claridade e olhar através do objeto para ver os ossos da mão. Com um olho fechado e o outro mirando o furinho do objeto nem percebi a diretora da escola se aproximar e me tomar meu poderoso raio-x e ainda me dar uma prensa dizendo que eu tava na escola com essa pouca vergonha, blá, blá, blá. Sabe-se lá, eu repito, sabe-se lá se esta mocréia desumana não abortou a carreira de um futuro cientista que descobriria, quem sabe, a cura de todos os males do mundo? 

O fato é que na impossibilidade de ter a visão de raios-x tive que desenvolver uma super-lábia e outros super-poderes para atingir meus objetivos que logo depois me permitiram ver também sob as calcinhas (o que foi muito mais interessante que a palheta de língua) e anos mais tarde dominar a técnica zen e milenar  de entender o que se passa na cabeça das mulheres. Mas esta técnica, infelizmente, não posso revelar pra você.

Senão, teria que matá-lo!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

NO SEU APARTAMENTO OU NO MEU?

O consumo fabrica termos histriônicos. Lá pelos meados dos anos 80 as balas passaram a ser soft, os cigarros light e os refrigerantes diets. Tudo pra passar a perna no consumidor encaixando palavras esquisitas em produtos comuns. Mas este é o papel dos publicitários: dar um novo significado às coisas que já tem um significado perene. Algo como anunciar em letras GARRAFAIS o lançamento de um sanduíche de bacon light. Bacon light? Onde o porco passou os últimos meses de vida? Num spa? 

De uns anos pra cá um termo que entrou em voga foi o flex, uma americanizada da palavra flexível, rebuscando seu significado na etimologia. A primeira menção que pegou do termo aconteceu nos carros quando passaram a ser bi combustíveis e se tornaram flex.. O impacto que esses modismos dão na cobiça alheia são fulminantes. O sujeito chega pro outro e diz: “-Meu carro é bi combustível e o seu?” O outro sujeito pra não ficar pra trás, diz na bucha: “-Não, mas minha mulher é bissexual e a sua?” Por último eu olhei um tal de cheque flex cujo motivo do nome eu ainda não descobri ( deve ser porque o cheque vai e volta de tão flexível! KKKKK!!!!). Mas o termo não encontrou melhor significado em minha opinião do que na relação entre casais. Sabe aquele papo do tipo “minha relação é flexível?” É disso que eu tô falando.  E olha que eu sou do tempo que a única coisa flexível que eu sabia que existia no sexo era o hímen.

Só pra voltar na pré-história da coisa, antigamente os swingers se comunicavam através de anúncios publicados em revistas masculinas. Um casal olhava o anúncio, mandava uma carta dizendo que estava interessado e pedia uma foto do outro casal que ao receber a missiva, acatava ou não a solicitação ou ainda colocava um condicional: “Ok! Topamos o encontro, mas só vamos mandar a foto depois que vocês mandarem a de vocês”. Assim, meu amigo, não tinha tesão que agüentasse!!!! Era uma espera de meses sem nenhuma garantia. Quase como comprar celular chinês pela internet com pagamento adiantado no cartão de crédito.

A evolução que acompanhou a globalização foi uma porteira aberta à diversidade das relações e suas flexibilizações. A troca de missivas entre os swingers evoluiu para as relações abertas, sexo a três, suruba, troca de casais e todas essas coisas que andam a solta por aí no apartamento ao lado do seu, numa casa de drinks, com sua melhor amiga, na internet ou na sua tv a cabo. E o que dizer dos motéis? Motel era conhecido como chatô e ficava num lugar muito escondido e enrustido na periferia das cidades. Hoje os motéis ficam nas principais avenidas da cidade e flexibilizaram tanto seu atendimento que já fazem concorrência com as lanchonetes e os restaurantes da região, afinal existe pouca diferença no ramo de atividade entre estes comércios porque os clientes que entram ali entram pra comer. O que muda é só a carne.

Pra enriquecer este post eu fiz uma pesquisa sobre o que rola, além de uma moia de chifres, na cabeça destas pessoas que mantém uma relação flex. Descobri que a maioria das relações abertas só vai até onde o chifre começa a doer. Se um parceiro transa com outra pessoa com o consentimento da outra metade, é uma relação aberta. Se transar sem avisar é traição. Se se apaixonar, lascou.

Diz a sabedoria popular desde os meus tempos de menino que o beijo é como o ferro elétrico: liga em cima e esquenta embaixo. Os primeiros beijos cinematográficos que escandalizavam as famílias puritanas eram apenas um roçar insosso de lábios. Hoje é uma espécie de exame de amídalas feito com a língua alheia. E os atores dizem que tudo é feito da forma mais profissional possível. Da mesma forma, a atriz pornô que após uma sessão de gang-bang com uma trupe de garanhões, volta pra casa pra cuidar da família como se seu trabalho fosse monótono e rotineiro depois de apertar tantos parafusos. O amor flex é lindo. Ninguém é de ninguém e todo mundo é de todo mundo.  Ah, esses artistas........ 


Eu como sou um cara romântico a única coisa bonita que eu acho na relação flex é a pergunta: “-No seu apartamento ou no meu?” Desde que a proposta seja feita entre pessoas de sexo oposto. Obviamente.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

COMO O BIQUÍNI SALVOU O MUNDO DA GUERRA

Assim não dá pra viver em paz!!!!

O maior pacificador de todos os tempos foi o biquíni. Depois que foi inventado, nunca mais o mundo se envolveu em grandes guerras. Quer dizer, o mundo ocidental, porque lá pro Oriente, onde a mulher ainda usa a burka para ir à praia, o pau vive comendo o tempo todo. Também, meu amigo, não tem quem aguente: temperaturas acima de 40° à beira-mar sem poder tomar um chopinho gelado e ainda  olhar as "cumades" com aqueles panos pretos parecendo umas morsas dentro d'água.... Tem mais é que explodir uns homens-bombas de vez em quando pra relaxar e ter o que conversar.

Falando em bombas, ironicamente como todo mundo sabe, o biquíni é fruto da destruição, já que seu nome é uma homenagem ao atol de Biquíni onde os americanos testavam bombas atômicas e destruíam a fauna local. Isso deve ter inspirado seu criador, Louis Réard, a destruir o maiô para criar a famigerada peça que logo que surgiu passou também a destruir casamentos, pois os maridos torciam o pescoço que nem a Linda Blair no Exorcista para ver as mulheres de biquíni na praia.

Lá pelo final dos anos 60, aplacada a fúria inicial, os senhores do mundo baixaram o facho e pararam de brincar com pólvora quando a peça caiu no gosto corpo das gostosonas da época como Ava Gardner, Ursula Andress  e Brigitte Bardot e aí foi só alegria: o mundo entrou na onda do "Faça Amor Não Faça Guerra". Depois vieram vários modelitos que ficaram famosos como o asa-delta e a tanga e o biquíni foi ficando cada vez mais diminuto pra alegria dos marmanjos de plantão atingindo seu ápice na fase fio dental, o qual se coubesse a mim, teria batizado aquele fiapinho na bunda de pavio de bomba, só pra não perder a herança da linhagem destrutiva da peça.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

A ESTÉTICA DO RISO NAS REDES SOCIAIS

Nada me aflige tanto quantos as línguas que não aprendi falar. Olhar textos e achá-los incompreensíveis como se estivessem escritos em grego. Principalmente quando estão escritos em grego!!!! Mas se os maiores filósofos eram gregos e, ainda assim se tornaram compreendidos pelo resto da humanidade, então deve haver uma solução para a estética do riso nas redes sociais.
Selecionei as risadas mais populares para dar sentido a elas (se é que isto é possível):

huashuashuashuashuas:
Eu não sei se o indivíduo que se expressa assim está rindo ou está engasgado com um chiclete na epiglote. Eu até me esforço pra entender que isso seja uma gargalhada, mas o texto caíra bem na literatura de suspense como, por exemplo, representando "o urro de uma criatura que assombra a casa mal-assombrada"

hahahahahahaha:
Taí uma risadinha honesta e debochada. Mas se ligar no 220V dá pra compará-la àquelas dos sacos de risadas que antigamente os programas de auditórios colocavam pra forçar o riso da platéia.

rá, rá, rá, rá, rá:
Versão metódica da risada acima. Também soa como irônica, mas ainda assim muito metódica. Eu até tenho dificuldade de digitar "erre acento agudo a vírgula espaço erre acento..." Cansativo...Parece que o cara tá rindo à prestação. E também ao mesmo tempo soa falso e escandaloso. Dependo do contexto, assemelha-se àquele psicodelismo de Baby Consuelo com aquele falso guru que inchava a testa e pregava o RÁ lá pelos idos dos anos 80.

(risos):
Assim mesmo, entre parênteses. Tenho duas sensações para quem escreve assim. A primeira é daquela pessoa que ri timidamente de boca fechada porque lhe falta um dente da frente. A outra é daquela pessoa que conta uma piada sem graça e só ele ri, também sem graça esperando que todos riam. Então imagine um cara sem um dente da frente contando aquela piada besta dos dois tomate e depois rindo sozinho com a mão na boca esperando a reação da platéia.

rs:
É o que eu chamo de rir por educação. Você tá batendo um papo on line com alguém que tá conversando ao mesmo tempo com outros cinco. Você conta uma coisa muito engraçada esperando uma reação de alegria do seu interlocutor que nem deu tanta importância ao que você escreveu ou nem mesmo leu porque já tava conversando com a sexta pessoa, mas pra não lhe deixar sem respostas manda esse rs de cinismo.

rs, rs, rs, rs:
Uma mistura do rá, rá, rá com o rs daí de cima. Se for de uma mulher, julgo-lhe tímida, mas se vier de uma cara....esse tá mais pra Fanta. De qualquer forma, homem ou mulher, essa risadinha infame soa parecida com aquela do Muttley. Não sabe quem é o Muttley? Não teve infância cara-pálida? Nem assiste o Cartoon Network de vez em quando? Muttley é o cachorro do Dick Vigarista que solta uma risadinha canina quando seu dono se dá mal. Ah, também não sabe quem é o Dick Vigarista. Ria pelo menos com rs pra dizer que você entendeu.

hihihihihi:
Essa é a típica risadinha histérica muito comum na vida real, mas muito rara nas redes sociais, porque nas redes as pessoas geralmente fingem aquilo que não são. Um histérico jamais vai rir assim na rede social. Se chegar a rir vai usar um outro tipo destes citados nesta lista. O certo é que todo mundo tem um histérico na sua rede de seguidores. Descobri-lo é como saber quem é o pato numa mesa de pôquer. Se depois de algumas rodadas de bate-papo você não souber quem é o histérico da sua rede social, o histérico com certeza, é você.

kkkkkkkkkkkkkk:
Essa parece o Pato Donald rindo, mas é minha favorita. É só sentar o dedão na letra k e só tirar quando já estiver se mijando de rir. Bom demais. Não tem vírgula, não tem acento e parece aquelas risadas que você dá no bar depois que já tomou umas duas ou tres com os amigos. 

:)
Este é inclassificável. Carinha de retardado deitado de lado. Usado comumente nos SMS, é símbolo maior da falsidade porque, convenhamos, quem realmente quer dizer pra alguém que está feliz, pega o telefone e liga: "Fiquei feliz porque você lembrou de mim blá, blá, blá..." Essa falsidade só encontra equivalência naqueles coraçõezinhos com as mãos que jogador de futebol mostra pra torcida depois do gol e cantor de brega sertanejo mostra pra platéia.


quinta-feira, 28 de julho de 2011

AMY ON THE ROCKS

Eu tenho uma queda descarada pela música inglesa, ou sendo mais honesto, pela música britânica, pra não deixar de fora os irlandeses do U2 e a escocesa KT Tunstall. Às vezes quando ouço um pop que gosto no rádio e vou conferir, na maioria das vezes, é de uma banda/cantor britânico. Outras vezes quando eu já não acho assim tão legal, vou conferir e é americano. Claro, tem que goste de Bon Jovi, de Lady Gaga, mas esta não é minha praia. Eu prefiro caminhar por Portobello Road ao som do reggae. Mas não vou ser tão radical. Algumas coisas se salvam no pop/rock americano, como o Cake.

Outro dia assistindo Didi Wagner em Londres, no Multishow, ela fez a pergunta que é o santo graal disso tudo: "o que será que tem na água daqui pra ter gerado tanta música, tanta banda boa?" E citou Beatles, Stones, Led Zeppelin, Pink Floyd, Oasis, Queen, The Who, etc, etc, etc. Só lembrando o que me veio rapidamente na cabeça.

E essa trupê toda aí de cima tá aqui guardada no HD deste micro que vos escreve. Penso até que pra gostar tanto do som da terra da rainha, eu devo ter sido Henrique VIII em outra encarnação, só pra ter o gosto de romper com o papa e traçar as irmãs Bolegna (de preferência interpretadas por Scarlett Johansson e Natalie Portman, que eu não sou besta!).

Mas o graal que a Didi procura em Londres deve ser água que passarinho não bebe. Aquela em forma de gelo que acompanha o malte escocês lá das Highlanders ao som das gaitas. A água da vida que já mandou muito tresloucado pro buraco. E eis que de vez em quando passam por nós umas constelações musicais tão rápidas que quando nos damos conta elas já se foram. Como Jimi Hendrix, Janis Joplin, Kurt Cobain, Jim Morrison, Brian Jones. E agora Amy Winehouse. Replicando o que Cazuza diria: "Meus heróis morreram de overdose!" Todos aos 27 anos!

A primeira vez que ouvi falar de Amy foi numa resenha do disco Back to Black escrita, por Airton Seligman (eu acho, mas posso estar enganado). O cara rasgou a seda e como eu sei que ele entende do babado musical, saí atrás de garimpar a tal bolachinha na internet. Nessa época eu estava morando em Codó City e quando o disco chegou fizemos uma audição musical do mesmo na big-mega sala de som de meu amigo Bocão, derrubando umas doses homeopáticas do velho Johnny Caminhante (desde então ficou notório que o som de Amy deveria ser destilados com um bom uísque com gelo e tira-gosto de salame. Ah, estas influências musicais...)

Autobiográfica até a medula como o título de uma antiga canção de Ednardo intitulada "Meu Corpo Minha Bagagem Todo Gasto na Viagem" Amy, com seu visual de diva retrô, foi a versão de saias de Rimbaud, o precursor de todos os porra-loucas da música e da poesia, do qual me vem na cabeça o verso inicial de Uma Temporada no Inferno:
"Antes, se me lembro bem, minha vida era um festim em que se abriam todos os corações, todos os vinhos corriam. Uma noite, fiz a Beleza sentar no meu colo. E achei amarga. Injuriei."

Agora que se fez luto na música com a crônica de sua morte anunciada, impossível não transparecer assim que os artistas são seres egoístas. E os artistas suicidas são egoístas doentes. Porque permitem voluntariamente que a morte expurgue de nós toda a criatividade que poderiam compartilhar conosco. É o artífice da Beleza que permite sua autodestruição. Como se o combustível do processo criativo dependesse de uma overdose de coquetéis recheados de amarguras musicais.

Então tá. Vai, Amy, vai tocar tua gaita no céu.

sábado, 16 de julho de 2011

COMO TREINAR SEU SACI

Imagem: Revista Maxim

Não entendo a importância que se dá no futebol quando um jogador canhoto, por exemplo, perde um gol porque chutou com o outro pé e o narrador apela:
- Que pena!!! Mas é porque ele chutou com o pé direito que não é o bom!!!!

Porra!!! Jogador de futebol só faz isso: chutar a bola!!! Como é que o cara não sabe chutar com os dois pés????

Em plena era de reengenharia, breakthrough, compliance, briefing, os chamados clubes-empresas ainda mantém em seus plantéis jogadores desta estirpe? Santa Filomena da Bola Murcha!!!!!

Imagine, na minha empresa, meu chefe me delegando uma função importante para um resultado tempestivo e eu, de soslaio, responder:
- Desculpe chefe, mas eu não posso fazer isso, porque eu sou bom apenas em apertar o botão azul! Infelizmente não sei girar a manivela!!!!

Não sabe o que Cara-Pálida???? Todo mundo sabe que a era da inocência já acabou!!! Ou você é um bom profissional na sua área ou você tá fora. Apenas no futebol ainda existe esse endeusamento do atleta que só chuta com um pé só. Parece coisa de saci.

Até as profissionais do sexo, popularmente conhecidas como putas, já incrementaram seu portfólio. Basta ver nos anúncios classificados que a concorrência é braba:

LÚCIA FOGOSA: FAÇO BARBA CABELO E BIGODE E AINDA PASSO CREMINHO. ACEITO CARTÕES DE CRÉDITO E DÉBITO.

MAGALI APERTADINHA: PADRÃO UNIVERSITÁRIA RECÉM CHEGADA DO INTERIOR. FAÇO  69, 77, 92  E  RAIZ QUADRADA DE 256. ACEITO TICKET REFEIÇÃO.

TEREZINHA LIBERTINA: ATENDO A DOMICÍLIO HOMEM, MULHER, CASAIS, BISSEXUAIS, HOMOSSEXUAIS, TRANSEXUAIS, FETICHISTAS, MASOQUISTAS E OUTRAS PERVERSÕES QUE VOCÊ IMAGINAR. SÓ NÃO BEIJO NA BOCA. ACEITO CHEQUE PRÉ-DATADO SEM CONSULTA NO SPC E SERASA.

Acho que tá na hora de empresários e dirigentes dos  clubes de futebol fazerem um brainstorm a fim de criarem uma sinergia para que, através de workshops estas profissionais do sexo ensinem  aos jogadores de futebol de um pé só a desenvolverem o potencial de realizar duas atividades ao mesmo tempo e se tornarem ambidestros. E eu não tô falando apenas de utilizar os dois lados do cérebro.

Contatos com as coaching (não, não é nas coxas, taradão!)  através adesivos colados nos melhores telefones públicos das grandes cidades. Afinal, profissional que é profissional tem que se vender!!!

domingo, 3 de julho de 2011

A MÚSICA DO SEXO

Enquanto uns caras gastam horas de lábia pra tentando conseguir um rala e rola com o sexo oposto, um besourinho, um mísero inseto aquático de apenas 2mm mostra porque veio ao mundo: a criatura utiliza seu pênis como instrumento musical, esfregando-o no abdômen para atrair as fêmeas no cio. Viu aí, amigo desiludido, que tamanho não é documento?

E a criatura ainda é um percevejo, saca? Aqueles insetos fedidos. Mas as fêmeas não tão nem aí, pois rola sexo e rock'n'roll. Aqui você já aprende a primeira lição: não é preciso estar cheiroso pra agradar as fêmeas da espécie. Essa sonoridade o coloca como  a criatura mais barulhenta da face da Terra. Mas isso é pouco. Pra mim, só a façanha desta ereção musical já merecia um hour-concours em qualquer lista de perfomance masculina do reino animal. Já imaginou??? Desde quando você não tem uma ereção assim, colada no abdômen? Nem pela manhã com seu tesão de mijo!!!!

Essa masturbação na própria barriga é conhecida nos meios científicos por estridulação, um nome que não soa muito bem nos meus ouvidos porque me lembra uma corruptela de esmagamento com trilhos e torção. E isso do pênis: Ai!!! Eu até acho que as fêmeas-inseto sentem um pouco de peninha do inseto-macho e chegam com aquele biquinho que só os insetos sabem fazer:
- Tá dodói????

Mas uma coisa eu digo, se os insetos tivessem metade de nossa inteligência dominariam o planeta, pois são capazes de façanhas incríveis e desafiadoras. Eu não duvido nem um pouco depois de ver este inseto erótico-musical. Agora, companheiro, olhe pra você: com um cérebro enorme, cheio de tecnologia ao alcance das mãos e só sabe ficar apertando botão no seu celular, teclando besteira na internet...Não sabe nem tocar um Parabéns pra Você no violão pra surpreender sua namorada no dia do aniversário dela...Que vergonha...

Já imaginou se nós, seres humanos, tivéssemos esse dom? Estridulando um Parabéns pra Você depois de uma festinha? Algumas vezes seria legal para impressionar a gata mas outras vezes eu acho que o cara ia pagar mico. Já imaginou no cinema? O cara dando o maior amasso lá no fundão e no meio da excitação, o pênis começa a estridular fora de controle fazendo mais barulho que o tiroteio na cena de ação do filme, chamando atenção de todo mundo:
- Te aquieta aí, taradão!!! Que eu quero ver o filme!!!

Mas o lado romântico também teria vez com os pedidos musicais de sua gata:
- Ah, benzinho, estridula aquela musiquinha que eu gosto....
Ou então (com ela suspirando):
- Pôxa, ninguém nunca estridulou antes assim pra mim...

É bom mesmo, porque com tanto talento musical a concorrência estaria batendo fortemente na porta, de sua gata. E como você ia conseguir dormir com um barulho estridulante desses?

quarta-feira, 29 de junho de 2011

A BELA QUE FUMA


De passagem pelas terras tupiniquins onde espantou-se com a falta de árvores em São Paulo, talvez se esquecendo que séculos atrás os franceses desmatavam e contrabandeavam nosso pau-brasil, La Belle de Jour despretensiosamente acendeu seu cigarro, como se ainda fosse os anos 60 e os homens caíssem a seus pés para um encontro no final da tarde. Mas quem caiu matando em cima foi a patrulha anti-tabagista, alimentada pelo furor da mídia.

Me lembrei de duas coisas na hora: a primeira foi quando expulsaram Rod Steward do Copacabana Palace, porque ele tava jogando bola na suíte e a outra foi a temática do filme Equilibrium, com Christian Bale, onde reina uma sociedade sem emoções controlada por uma droga fornecida pelo Estado. Neste contexto, acredito que a sociedade caminha de maneira irreversível para um mundo de emoções reprimidas, de sensações perdidas, de liberdades vigiadas. Embora haja centenas de pessoas querendo me provar o contrário.

Similar ao modismo de vestir-se, a sociedade, de uma maneira geral, sofre do vício maligno de atirar alguém na cova dos leões. Nos anos 80 com o advento da AIDS, foram os gays. Se o cara gostava de queimar o fiofó era tratado como um potencial transmissor do vírus e deveria ser mantido a distância de qualquer outro cidadão saudável. Agora são os fumantes, como um caso de saúde pública, pois o Estado alega gastar milhões no tratamento dos dependentes. Devem ser os mesmos milhões que eles alegam gastar na aquisição e distribuição gratuita de remédios que nunca chegam quando deveriam, pois estão sempre em falta nos postos de saúde. O dinheiro fica sempre no meio do caminho. Exemplo de um país que só funciona na teoria.

Claro que Miss Deneuve não é nenhuma santa e é do seu conhecimento que a patrulha antifumo gira o globo capitaneada por gente do quilate de Bill Gates, mas a primeira campanha antifumo que eu tenho notícia no país teve origem com a Companhia de Jesus - o braço católico da Inquisição e da Contra-Reforma portuguesa - que acampou aqui no Brasil com o primeiro Governo Geral. Assustados pela felicidade com que viviam os nativos - a quem chamavam de gentios - os jesuítas buscaram expurgá-los dos seus hábitos, entre eles o fumo, que seduzia também os aventureiros portugueses que já habitavam estas terras.

Por estas e outras e por ser contemporânea de De Gaulle, enquanto dava suas baforadas durante a entrevista, Deneuve talvez estivesse apenas levando a sério a célebre frase do ex-presidente francês de que: "o Brasil não é um país sério!"

sexta-feira, 24 de junho de 2011

MODAS PASSADAS QUE VOCÊ AINDA PODE USAR


Imagino que quando você olhou a imagem acima desta radiola de pilha sentiu logo saudades da sua coleção de AS 14 MAIS que você ouvia mascando um Ping-Pong enquanto lia a nova revista de Tex Willer. É amigo, o tempo passa e algumas coisas voltam. Quem sabe você não volte a usar um dos itens abaixo:

CAPANGA
O que era: Uma bolsa com alça (saca o mala sem alça?) que o sujeito colocava debaixo suvaco e que dava pra levar documentos, dinheiro, um maço de cigarros Pall-Mall e um três-oitão.
Possibilidade de Retorno: Altíssima. Já tem uns Waldicks Sorianos boleiros circulando com elas debaixo das axilas..



POCHETE DE COURO:
O que era: Uma bolsa que você prendia na cintura e ficava parecendo um marsupial.
Possibilidade de Retorno: Altíssima. Já tem uns cangurus umas figuras circulando com elas.


CAMISA VOLTA AO MUNDO
O que era: Uma camisa feita de nylon e que dava uma inhaca no sujeito depois que ele suava.
Possibilidade de Retorno: Muito baixa.



BASQUETEIRA
O que era: Nome comum dado a qualquer tênis tipo Conga e Kichute.
Possibilidade de Retorno: Retornou como tênis de Basquete Cano Longo de marcas famosas.


MULLETS
O que era: O corte de cabelo mais ridículo de todo o universo conhecido e que pegou que nem piolho em cabeça de pobre. Saca aquele estilo Chitãozinho e Xororó?
Possibilidade de Retorno: Improvável


CABELO BLACK-POWER
O que era: Estilo de penteado para cabelos crespos ou ruins que se mantinham arrumados utilizando-se pentes com dentes de aço, estilo gadanho.
Possibilidade de Retorno: Muito baixa, pois a onda agora é chapinha.



SAPATO CAVALO DE AÇO
O que era: Sapato masculino estilo plataforma com saltos altos e grossos. Geralmente polidos e reluzentes com cores berrantes. Ótimo pra baixinhos.
Possibilidade de retorno: Raríssima


CALÇA BOCA DE SINO
O que era: Uma calça juta da cintura até os joelhos. Daí pra baixo alargava até a boca cobrir os pés. Geralmente era usada arrastando no chão e desfiada na ponta. Quem não tinha uma mandava a costureira abrir do lado e alargar com panos, as chamadas nesgas.
Possibilidade de retorno: Média a alta, mas nunca no estilo hippie original e sim no estilo falso riponga.


BÔNUS:
COMBINADO 3 em 1:
O que era: Juntar 3 estilos em um único visual tipo cabelo black-power, calça boca de sino e sapato cavalo de aço.
Possibilidade de retorno: Só nos remakes da tv.