sábado, 8 de janeiro de 2011

COMO NASCEM AS SUECAS?


Minha lembrança mais antiga da Suécia são aquelas revistas de sacanagem explícita que passavam de mão em mão no colegial onde a gente aprendia tudo sobre a anatomia feminina e outras coisas ainda mais perturbadoras aos nossos corpos imaturos e juvenis.

Anos depois fiquei sabendo, lendo aqueles folclores futebolísticos de Garrincha, sobre a farra de louras que foi a Copa de 58 na Suécia e quis ser jogador de futebol naquele instante pra navegar mares nórdicos com meu approach tropical.

Mas o mundo deu muitas voltas e agora que tudo é politicamente correto até as suecas mudaram.

Agora pra fazer sexo seguro com uma sueca, só fazendo a moça assinar um documento de consentimento. Se não, tome um processo nas costas ( nas costas não, que parece coisa de bicha!). No couro.

Pra se ter uma ideia, ontem eu li que na Suécia o conceito de estupro tem um sentido muito mais amplo que aqui no Brasil. A acusação não envolve necessariamente violência - segundo a lei sueca, um homem que força a barra para transar sem camisinha pode ser julgado por estupro "pouco grave".

Fiquei imaginando, durante o rala e rola, o que caracteriza o consentimento da parceira ou a forçada de barra, aos olhos da lei sueca, se não houver violência física. Porque estupro "pouco grave", para mim, soa muito relativo, como E=mc².

Mas, partindo-se da ótica deles, e se a esposa exigir que o marido só transe de camisinha, como então nascem as suecas?

Será que as loiras nórdicas caminham para a extinção?

5 comentários:

Antonio José Rodrigues disse...

Lembrei-me, Jorge, das revistas "proibidas" de minha época. Naquele tempo, eu não podia entrar no banheiro que via uma sueca nua, então, meu caro, imaginação para que te quero!!! Abraços

Jorge Jansen disse...

Acho que naqueles tempos todo mundo se apaixonava por uma sueca. Paixão de grudar as páginas da revista.

Ricardo Chicuta. disse...

E eu fico aqui imaginando como os suecos conseguem ter uma ereção decente com o medo constante de serem acusados de estupro.

Augusto Senna disse...

Pô Jorge, primeiro mundo é phoda mesmo, por qualquer coisa você é processado, tipo o ator Roman Polanski, que foi dar uma sem camisinha na Suíça, sem o consentimento da parceira e levou no rabo, ou seja, se você for transar com alguém nos países nórdicos, primeiro peça para assinar um contrato de prestação de serviços sexuais, com todas as cláusulas explicitadas, tipo: mordidas, palmadas e chupadas, pode ou não pode. Velhos tempos em que fazer uma homenagem ou revelar as fotos, no banheiro, de uma revista de louras vikings era brincadeira de menino pervertido.

Jorge Jansen disse...

Grande Augusto, que bom sua presença no blog e seu comentário. Você que tem grandes sacadas e um faro musical refinado nas suas notas no facebook. Abraços camarada!!!