sexta-feira, 1 de abril de 2011

TÁ COM SEDE: BEBA ÁGUA EM PÓ


Pesquisadores maranhenses juntos com cientistas do Instituto da Águas de Massachuster desenvolveram uma técnica revolucionária de água em pó para obtenção de água potável. O projeto causou frisson no meio científico e político já que alguns anos atrás isto soaria como uma piada. Porém devido às mudanças climáticas, o aquecimento global e a desertificação de áreas outrora cultiváveis, o que era ficção vai se tornando realidade e criando uma nova frente de aproveitamento ambiental dos recursos existentes.

Em entrevista com um dos pesquisadores o mesmo revelou que a técnica, embora tenha levado vários anos para ser concebida, é relativamente muito simples. Utiliza elementos-traços existentes na água que combinados com nano-catalizadores tem a função de absorver a água como uma esponja e solidificar em formato de grãos. Depois é só misturar este pó com água para obtê-la novamente. Quinhentos gramas de água em pó misturada a 500ml de água rendem cinco litros de água potável. 

Os árabes já cogitam fazer a troca de água por petróleo na proporção de 1:1 e vários países africanos já mostraram interesse em adquirir os primeiros lotes da produção que começa a ser distribuida ainda este anos. A Africa é o continente que possui mais países ameaçados pela falta dágua por conta do aquecimento global. Estados brasileiros do nordeste na região do Polígono da Seca também mostraram interesse. 

Perguntado se há alguma diferença como alteração do sabor da água em pó para a água comum, o cientista respondeu que não pois o processo utiliza elementos da própria água. Comparou que não há diferenças de sabor tal como água líquida e gelo. Perguntado pelo custo ao consumidor final, os pesquisadores informaram que ainda é cedo para definir, pois envolvem parâmetros de infra-estrutura e de patente, mas a ideia é que o custo por litro seja 50% mais barato que o da água mineral.

O risco deste tipo de comércio é tornar-se monopólio de alguns grupos. O grupo S.A.R.N.A & Filhos S/A, que atua em vários ramos da economia no Maranhão, já mostrou interesse em adquirir vários mananciais hídricos e construir barragens com subsídios do governo federal. Um grupo português, Manuel & Joaquim Co., que atua na região já tratou de cercar com arame farpado galvanizado todos os rios de suas propriedades para evitar que água flua para riachos vizinhos e a riqueza desça rio abaixo.

- "Assim ninguém vai roubar o que é nosso!", teria dito o gajo na sua entrevista.

* Atenção estudantes do ensino médio, este texto é uma piadinha de 1º de abril. Não copiem isso no seu trabalho de escola porque a nota vai ser zero!!!

3 comentários:

Ricardo Chicuta. disse...

Piada ou não se fizerem isso com a cerveja eu compro uma tonelada.

Antonio José Rodrigues disse...

A idéia do Ricardo , Jorge, é brilhante. Abraços

Jorge Jansen disse...

O Chicuta teria que ter era um poço artesiano!!!!!