segunda-feira, 26 de abril de 2010

ADEUS AS MINHAS COSTELETAS EUROPEIAS

Ando seriamente propenso a mudar de barbeiro.

Aquele dos 10 contos.

Semana passada como sempre, mes a mes, fui lá depois do serviço cortar o cabelo, ler umas revistas da semana e ficar ouvindo a conversa alheia de futebol e política. Coisas de barbearia.

Estava absorto na leitura sobre um assunto que me chamou atenção na revista que nem percebi o estrago que a tesoura afiada estava fazendo nas minhas costeletas europeias cultivadas desde dezembro. Quando levantei a vista foi que vi o estrago. 

- Cara você cortou minhas costeletas? 

- Cortei!? Não era pra cortar? 

Pense no palavrão que se formou desde o início do esôfago mas que por decência e bons costumes da minha criação não conseguiu passar por entre os dentes de minha boca fechada...

- E agora?

- E agora nada, tem que cortar o outro lado ou tá pensando que eu vou sair na rua desse jeito.

Foram meses pra criar o estilo e numa tesourada, puft. Caiu aquela coisinha de cabelos por cima do aparador.

Como não sou aquele cara estilo Tony Ramos, o jeito agora é esperar mais alguns meses pra dar forma de novo no estilo jogador europeu-artista de Hollywood.

E ficar zen durante o ritual da barba: raspa aqui, apara ali, acerta acolá.

Porque é como cabelo. Acaba crescendo de novo.

4 comentários:

May Santos disse...

^^ Não sei quanto as costeletas, mas quando se trata de cabelo é desesperador...
Eu tinha um cabelo ENORME, mas minha mãe errou a mão ;p e ele ficou no pescoço... Fiquei deprimida um mês!

Mas é como capim... cresce de novo ^^


Bjs
Boa semana!

Ricardo Calmon disse...

Meu bom e querido escriba Jorge,vc que é feliz,que só vai ao barbeiro uma vez por mes,yo,uma vez por semana vou,pois quase careca,a grama sempre tem que ser baixada ,além da barba ,que sempre gosto de aprumá-la ,para o Ché não parecer!
Te abraço mio caro!

viva la vida!

Eterno Humano disse...

kakakakakaka...isso foi engraçado...vc descreve muito bem. Imaginei tudinho....e ri sozinha aqui imaginando a cara do personagem indignado que não tem nenhuma ação...
Abraços

nina martins disse...

rsrsrs
que cena!
costeletas são estilosas mesmo!