sexta-feira, 29 de outubro de 2010

A VIDA VEM EM ONDAS COMO O MAR



A vida acontece em ciclos.

Dias atrás postei sobre  O Amor e suas Esquisitices e agora - não querendo que fosse uma continuação do post - digo que o amor tem dois grandes momentos: um quando começa e outro quando termina.

Aí você me pergunta:
-Putz! Um grande momento quando termina?

Calma, eu explico.

Quando um amor começa você se transforma num outro ser. Um ser mais agradável, mais perceptivo, indiferente às banalidade e mesquinharias do dia a dia. Você adquire uma nova beleza física chegando inclusive a se achar parecido com Brad Pitt quando se olha no espelho nos primeiros dias.

O fim de uma amor é como se uma manada de Tiranossauros Rex passasse sobre seu corpo e depois o que resta de sua insignificância é levado pelo vento, como folhas de folhas sobre a relva, citando Walt Whitman. Daí você passa dias, semanas, meses tentando recompor os pedaços de sua existência. Aí é que mora a mágica do grande momento. Você que estava prestes a retornar ao estado de bactéria volta a se tornar um ser consciente. Ainda que sua mente insista em bombardear sua imaginação com imagens de flashback, o corpo se desintoxicará gradualmente da química daquela superação amorosa.

Mas você poderia ainda me perguntar:
-Mas, Jorge, se os grandes momentos são o início e o fim, o que seria o durante?

E eu lhe responderia, tomando um gole da minha cerveja estupidamente gelada:
-O que acontece durante, meu caro, é o verdadeiro amor!

Saca aquele lance poético do Vinícius de Moraes do "que seja eterno enquanto dure"?

Aproveite o momento.

O amor também acontece em ciclos. Se é que você me entende...


Um comentário:

Ana Agarriberri disse...

Pura verdade teu post. Acredito fielmente no durante. Verdadeiros e intensos amores são vividos em seu presente. Viva o hoje! Beeejo,beejo, seguindo-te, gostei daqui.