quinta-feira, 2 de setembro de 2010

A AMIZADE E SEUS SIGNIFICADOS


Clint Eastwood é um filho da p. cara legal.

Ele conseguiu prender minha atenção às 11 da noite num filme aparentemente xenofóbico e depois ainda me arrancou umas lágrimas emotivas à 1 da manhã ao final de Gran Torino com lições manjadas do tipo "os opostos se atraem" divagando sobre a amizade e seus significados.

Até parece que eu não tinha trabalho de manhã cedo.

Mas, convenhamos: não é à toa que o cara já ganhou 4 vezes o Oscar e de quebra ainda foi prefeito de uma pequena cidade na Califórnia. Às vezes imagino que o Clint ator confunde-se com o Clint real pelo estilo aparentemente igual do comportamento de seus personagens representando sempre uma espécie de homem em extinção: rude, conservador em relação aos seus valores, cheio de problemas pessoais, mas com um coração emotivo e sensível.

Depois eu fiquei pensando o que me prendeu tanto ao filme...

Talvez porque eu seja um cara que dou um valor inestimável aos amigos. E isso me lembra um e-mail que recebi esta semana de meu primo onde tem uma parte que ele cita e que eu gostei muito que diz:  "um amigo nunca está mais distante do que o alcance de uma necessidade, torcendo por você!"

É verdade. E Clint Eastwood pensou parecido quando produziu e dirigiu o filme.

Aos 80 anos ele podia ser meu pai.

Mas é apenas um baita sacana que prendeu minha atenção e me emocionou contando  despretenciosamente  uma história bacana sobre a amizade e seus significados.

3 comentários:

rayssa gon disse...

então, jorge. eu curto o clint. pensar no quanto ele era bonito é só um detalhe.

gran torino ta na minha lista faz um tempo e ainda não consegui assistir.

mas fiquei sabendo q ele é republicano então ando com um certo pé atras.

o q realmente me incomoda é q ele nunca levou o oscar de melhor ator. "só" de diretor. quer dizer, como assim??? o cara é demais!

Jorge Jansen disse...

Pois é! E outro lance que me chama atenção é que quando ele entrou para a política pra se candidatar, houve aquele sentimento entre seus fãs que ele se afastaria do cinema, o que não ocorreu. E ainda hoje - no ocaso de sua existência, quando podia somente estar sentado sobre a fama - continua a arrebatar os cinéfilos. Ou seja, nós.

Ludi Knaus disse...

Jorge, nunca tinha entrado no seu blog, e já de cara, me prendi ao tema: cinema, minha paixão. Ainda não li outros posts, mas o Clint (ó a intimidade, haha) sempre foi ator impecável e um diretor incrivel pra mim... sempre consegue me fazer chora, haha.
Já gostava dele desde sempre, ai veio menina de ouro, e depois o fantástico Grad Torino, ou seja, não tenho muito o que falar dele, são elogios óbvios.
Mas posso dizer que fiquei feliz com seu coment no meu blog, entrei pela recíproca e acabei que vou seguir, por ter gostado mesmo!

=]