segunda-feira, 23 de novembro de 2009

ACROSS THE UNIVERSE


Minha filha passa pela sala e me vê largadão no sofá assistindo Across The Universe pela nésima vez e diz: "De novo, papai?"

Fazer o quê?

O filme faz parte do pacote que estou guardando se sobreviver a 2012. É um musical de 2007 que utiliza trilha sonora dos Beatles - principalmente dos discos Abbey Road, The White Album, Let it Be, Yellow Submarine e Magical Mistery Tour - numa história que tem como pano de fundo a guerra do Vietnã e todo ambiente do final dos anos 60 onde a música, as artes e o comportamento dos jovens ganharam tons revolucionários e psicodélicos.

Neste cenário um jovem irlandês ( Jude ) vem para os EUA encontrar-se com o pai desconhecido e acaba conhecendo um rapaz ( Max ) e sua irmã ( Lucy). Dali parte para uma trupe em Nova York onde conhecem uma cantora e seu parceiro e acabam todos morando juntos numa situação que muitos jovens já vivenciaram.

Outra característica marcante é que as canções são interpretadas - na sua maioria - pelos próprios atores sem qualquer dublagem e o resultado foi tão bom que a TSO foi lançada em tres versões: com 16, 29 e 31 canções.

O filme conta com participações especiais de Salma Hayke ( que pediu para participar do filme nem que fosse num papel pequeno ), Joe Cocker ( em papel triplo ) e Bono Vox ( como hippie ).

O filme termina com Jude e seus amigos cantando All Need is Love em cima do telhado da gravadora, numa referência aos próprios Beatles que no final de janeiro de 1969 realizaram sua última apresentação para o "público", em cima do telhado da Apple, num momento já conturbado e ensaiado da separação da banda.

Segue na canja um dos traillers/clips do filme na cena que antecede o retorno de Jude para os EUA, depois que ele foi deportado. É a penúltima música do filme. Como todas as canções, as letras se " encaixam " nas cenas. Nesta cena, Max e Jude, estão bebendo em bares distintos; um em Nova York outro na Irlanda, mas a tomada da cena aliada à letra da canção, dá a sintonia de que eles estão conversando através do espelho e Max fica motivando Jude a retornar a N.Y.

3 comentários:

Ludi Knaus disse...

Nossa, eu não tinha visto esse post até agora.
Assisti esse filme não deve ter nem 2 meses... namorado dormiu, eu assisti inteiro, cantando as musicas tão inerte que parecia ser uma atriz ensaiando sua cena principal! Alias, é o tipico filme q meio mundo torce o nariz né: musical + vietnã (de novo)... tipo.. Hair? Que eu amo tb!
Tudo isso remete muito a minha infância, papai boina verde, mamãe hippie, beatles (apesar dos 2 preferirem Stones)...enfim, pra não me prolongar muito, adorei ler esse post...
E as versões? é de se baixar e ouvir no repet, né não?!
bjos

Carla Carvalho disse...

entao somos dois loucos alucinados pelo filme!!! eu jah assiste algumas 20 vezes tb!rsrs... estava fazendo um trabalho sobre a irlanda, pra apresentar no emu curso de ingles e o q eu to fazendo ag? pausa pra assistir ACROSS denovo!shuahushau... Afinal Jude é irlandes ne? Preciso de referencias... kkkkkkkk

ainda n tinha pensado nisso, mas vou precisar de um dvd dele pra colocar no pacote de sobrevivencia tb!!
shuahsuahu

Jorge Jansen disse...

Coincidência ou não, Carla, enquanto leio seu comentário meu play, aleatoriamente, tocou Hey Jude, do Across. E rebate com Stand by Me, do Oasis ao Vivo. É mole? Depois o cara não sabe porque bebe...